Patti Smith

Patti_Smith_performing_in_Finland,_2007

“ENTÃO VOCÊ QUER SE TORNAR UMA ESTRELA DO ROCK?”
trecho retirado de “So You Wanna Be (A Rock’n Roll Star)”, do álbum Wave

Destacamos o texto de MARCUS MARÇAL sobre  Patti Smith – Elegia ao Punk como Modo de Vida que  Nascida em dezembro de 1946 em Chicago, Patricia Lee Smith foi criada em Woodbury, New Jersey. Sua mãe, uma garçonete dublê de cantora de jazz, tinha propensões à fantasia. Já seu pai trabalhava no campo e, apesar de ser uma pessoa moldada pelo raciocínio objetivo, passou sua vida apostando em corridas de cavalos.
Patti, a mais velha dos quatro filhos do casal, se tornaria uma síntese perfeita dos pais. Incapaz de encontrar espaço em seu meio ginasial, ela encontrou refúgio em imagens de Rimbaud, Bob Dylan, James Brown e Rolling Stones. Ela idolatrava seu pai, que a introduzia a leituras da Bíblia, Bertrand Russel, o mitologista Joseph Campbell e também livros de ufologia. Como tinha de tomar conta dos irmãos mais novos, ao mesmo tempo ela exercitou sua capacidade nata de contar histórias (herdada de sua mãe).

Foi justamente no vilarejo, no interior de New Jersey, que ela freqüentou bailes de música negra e teve contato com o rock’n’roll. Após uma desventura como Testemunha de Jeová, o gênero aos poucos se tornaria sua profissão de fé. Patti não conseguia entender porque as religiões se voltavam contra algumas manifestações artísticas, pois fora alertada de que os museus e as obras de arte não seriam dignas de salvação no final dos tempos. Em sua mente, criou um paradoxo entre devoção e carnalidade, que se tornaria uma constante em seus trabalhos iniciais. Era fascinada com a imagística da religião, ao mesmo tempo que sentia repulsa à característica excludente dos dogmas.

Patricia trabalhou uns tempos no magistério e sonhava ser artista, embora fosse totalmente indisciplinada quanto ao aprendizado de qualquer ofício. Engravidou aos dezenove anos e, por essa razão, foi expulsa da escola. Na ocasião, contou com o apoio de um casal hippie e vegetariano. Encarou a gravidez até o final, mas não o filho, que entregou-o para entidades de adoção. Anos depois, este episódio seria tema de um dos poemas de seu primeiro livro de poesias. Foi nessa época que seguiu em direção às luzes brilhantes da metrópole cosmopolita Nova Iorque, onde se sentiria acolhida pela diversidade cultural inerente à cidade.

Ao chegar à cidade com apenas dezesseis dólares, conheceu um estudante de arte e fotógrafo chamado Robert Mapplethorpe e foram morar juntos em alguns hotéis e muquifos. Conseguiu emprego como funcionária da livraria Strand And Scribner’s, onde se sentia acolhida em meio a grandes obras da Literatura Universal. Em 69, viajou a Paris com sua irmã Linda, onde trabalhou nas ruas como artista performática e fez suas primeiras incursões junto às artes visuais.

Com a chegada dos anos 70, Patti retornou à Nova Iorque, onde posteriormente angariou repercussão em points como o Max Kansas City. Foi nesta cidade que conheceu figuras como Johnny Winter e Bob Neuwirth (amigo de Bob Dylan e em quem este se inspirou na canção “Like A Rolling Stone”), que a encorajaram a subir aos palcos. Nessa época, ela discretamente escrevia poesia, mais como um artifício estético que utilizava em suas pinturas.

Tem cantoras que deixam  o tempo para atrás com um certo conforto de garantia pela sua musica ,…pelo seu toque de  energia…. e  carisma,…

Acredito eu…que Isto é uma das coisas mais importantes na  carreira  de um artista  que  acreditou e acredita  na capacidade de superação de movimentos musicais …Patti Smith é uma dessas raras cantoras que tem na qualidade de suas letras e na  sua postura como mulher do seu  tempo um  ideário de uma vida…

Enfim você conhece Patti Smith….

rock-music-singers-patti-smith-1280x720-hd-wallpaper

2bbdb-seta_baixo

“A cidade e os elementos para uma história musical” tornou-se um projeto da Pró-Reitoria de Extensão da Faculdade de Arquitetura da UFRGS (Prorext) com o nome de HISTÓRIAS  MUSICAIS  ação de extensão, com ênfase na temática cultural  na Radio AM 1080 da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

YouTube_logo_2013.svg

O programa apresentado sempre às quartas feiras das 21:00 ás 22:30 hs.

Locução e Produção Geraldo  Costa –

Operador da Mesa e Colaborador

Cleber Mendes

Resultado de imagem para grafites

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s